Rosácea: causas, sintomas e tipos

11 de maio de 2017
rosácea

Conheça as causas, os sintomas e os tipos de rosácea.

Rosácea é uma condição que provoca vermelhidão facial e, muitas vezes, lesões inflamadas, como  inchaços pequenos, vermelhos e cheios de pus, além de pequenos vasos sanguíneos visíveis, especialmente nas bochechas, nariz, testa e queixo. Pode até ser confundida com acne ou outros problemas de pele e começa entre as idades de 30 e 50 anos, afetando mais mulheres do que homens.

Causas da Rosácea
A rosácea surge por uma combinação de vários fatores, entre eles, anormalidades no sistema imunológico, reações inflamatórias a microrganismos da pele, lesões por raios ultravioleta e disfunção dos vasos sanguíneos.

Quem tem tendência à Rosácea
Pessoas de pele clara, principalmente mulheres acima de 30 anos. Porém, o fato de ser mais frequente em pessoas muito brancas não significa que a rosácea não possa surgir em indivíduos com pele mais morena.

Tipos de Rosácea
Existem cinco tipos de rosácea, que variam conforme ela se manifesta e que podem se misturar entre si. São eles:

1- Eritemato telangectasia
Causa vermelhidão e vasos aparentes principalmente na região central da face, próximo às asas nasais. O tom avermelhado pode ser agravado por fatores como álcool, sol, estresse, exercícios físicos e calor. Provoca a sensação de estar com a pele queimando ou pinicando. Pessoas com esse tipo de rosácea, por terem a pele mais sensível, não podem utilizar ácidos ou cremes abrasivos.

2- Pápula pustulosa
Além da vermelhidão, esse tipo de rosácea apresenta lesões que parecem espinhas. É mais comum em homens e alterna períodos de piora e melhora.

3- Fimatosa
Além do rubor, ainda promove inflamação na pele, tornando-a mais espessa, endurecida e com poros dilatados. Comum em homens com mais de 50 anos, é caracterizada pelo aumento e infiltração de áreas como as glândulas sebáceas do nariz.  Com o tempo, o nariz pode até dobrar de tamanho e também pode comprometer o queixo. Esse é o tipo menos frequente de rosácea, considerado o estágio final da doença.

4- Rosácea ocular
Aparece como uma inflamação (blefarite) com avermelhamento e descamação na área dos cílios. Por afetar a região dos olhos, cerca de 20% dos casos são descobertos em consulta ao oftalmologista. Trata-se do tipo mais grave, pois pode evoluir para a perda da visão.

5- Granulomatosa
Caracteriza-se pelo aparecimento de pequenos nódulos acastanhados na face. Cerca de 15% dos pacientes com a doença podem ter lesões em outros locais. Seu diagnóstico é difícil e seu tratamento também é um desafio.

Como cuidar
Não há cura conhecida para a rosácea, no entanto, é uma doença tratável e de excelente controle. Para não piorar o quadro ou causar ainda mais incômodo, a recomendação é:

-Retirar a maquiagem toda noite e usar corretamente protetor solar com fator acima do FPS 30.

-Evitar ácidos e produtos com álcool, já que essas substâncias podem ser vasodilatadoras e irritantes.

– Evitar a ingestão de algumas comidas e bebidas como chá verde, café, bebidas alcoólicas, alimentos muito condimentados.

-Não lavar o rosto com água muito quente ou muito fria. Essas condições podem piorar o rubor.

Buscando ajuda médica
Se a vermelhidão do rosto for persistente, é essencial marcar uma consulta médica com um dermatologista para obter diagnóstico e tratamento adequados.

Banner-Produto-Controle-de-Rosácea-30g- 1

Você pode gostar também

Sem comentários

Deixe uma resposta